Treinamento de prevenção de acidentes: tire aqui suas dúvidas - Previnsa - Soluções em Segurança do Trabalho
Capacitação

Treinamento de prevenção de acidentes: tire aqui suas dúvidas

Dentro do mundo corporativo, muitos assuntos recebem grande atenção. Nós discutimos negociação, liderança, finanças, gestão de pessoas, gestão de recursos e supply chain, tecnologias, produtividade, e a lista continua. Mas um dos assuntos mais importantes não está entre essas opções. Estamos falando, é claro, de saúde e segurança no trabalho.

Toda empresa é responsável pelo bem-estar de seus colaboradores. E, no contexto dessa responsabilidade, o treinamento de prevenção de acidentes é uma ação indispensável. É pensando nisso que decidimos criar um post para responder todas as perguntas que você possa ter sobre o assunto. Vamos começar?

1. Por que é importante?

Não importa em que ramo uma empresa atue, o local de trabalho que ela oferece a seus colaboradores sempre apresentará certos riscos de acidente. E, embora você não queira ver seu funcionário machucado (e nem lidar com pedidos de indenização), talvez já esteja acostumado a adotar uma postura do tipo “acidentes acontecem”.

Então, aqui vai nossa primeira lição. Essa frase, embora popular, está errada. Na verdade, todo acidente pode ser evitado. E a melhor forma de evitar acidentes em um escritório, loja ou fábrica é por meio de um programa de segurança do trabalho.

Dentro de um programa de segurança do trabalho, podemos ter inúmeras atividades. A própria instituição da CIPA é um exemplo. Mas uma atividade que merece destaque especial é o treinamento de prevenção de acidentes.

Esse tipo de treinamento visa ensinar a própria equipe a identificar situações de risco no trabalho e adotar a postura adequada para sua própria proteção. Ou seja, incentiva os funcionários a serem proativos em vez de esperar passivamente.

Como você pode imaginar, é um processo que traz ótimos resultados. É mais eficiente do que manter um profissional específico circulando pela empresa para tentar detectar e eliminar todos os riscos. É pura matemática. Em vez de ter um ou dois pares de olhos atentos, você passa a contar com dezenas deles — todos devidamente preparados para prevenir acidentes.

2. Quais são as vantagens do treinamento?

É fácil responder por que o treinamento em prevenção de acidentes é importante. Trata-se de uma questão de segurança. Mas você sabia que existem diversas outras vantagens por trás da realização desta atividade? Confira algumas delas:

Aumento do engajamento dos colaboradores

Os treinamentos mostram ao colaborador que você está investindo nele. Vamos ser justos: isso não é exclusividade dos treinamentos de segurança. Qualquer outro tipo de treinamento também gera efeito similar.

De qualquer maneira, estabelecemos um sentimento positivo, de reciprocidade. O profissional ajuda a empresa e a empresa ajuda o profissional. Devido ao bom relacionamento entre as partes, forma-se um ciclo no qual o funcionário tende a ser mais fiel e realmente vestir a camisa da organização.

Nem precisamos dizer que o engajamento traz consigo mais motivação e mais produtividade. Portanto, indiretamente, organizar um treinamento de segurança vai fazer com que sua equipe trabalhe mais e melhor.

Melhoria do clima organizacional

Mas não acabou ainda. Todas as consequências positivas que mencionamos no item anterior vão, naturalmente, fazer com que o clima organizacional melhore.

Clima organizacional é um termo que se refere a necessidades, preocupações e percepções dos colaboradores de determinada empresa. Colocando de maneira bem superficial, quando existe uma compatibilidade entre as expectativas da equipe e a realidade, o clima organizacional é positivo.

Acontece que o clima organizacional tem grande impacto sobre a imagem da sua empresa. Afinal, seus colaboradores são um cartão de visitas. Quando ele elogia seu local de trabalho para um amigo, um cliente, ou até mesmo no seu perfil do Facebook, ele está representando a empresa.

Sabia que você pode perder uma parceria ou um cliente devido à imagem produzida por um clima negativo? Quando o clima é positivo, isso tem um efeito sobre a atração de novos talentos e até mesmo sobre o interesse de outras empresas em se associar a você.

Maior qualidade e quantidade dos produtos

Temos aqui uma vantagem de caráter bastante prático: em uma fábrica, quando acidentes ocorrem, isso atrapalha a produção. Dependendo da gravidade da situação, é preciso parar a linha ou a célula para resolver o problema. Você perde tempo e pode ocorrer algum efeito negativo sobre o padrão dos produtos fabricados naquele intervalo.

Imagine, agora, se você acabar com os acidentes dentro da empresa. Nenhuma etapa do seu processo terá que ser interrompida. Como consequência, será possível manter a produtividade e evitar erros na fabricação.

Seu cliente fica mais satisfeito, porque recebe o que pediu rapidamente e com qualidade. E você, de quebra, ainda consegue reduzir custos (de ociosidade e desperdício) e aumentar o faturamento (produzindo e vendendo mais).

3. Quais são os maiores erros em treinamento de prevenção de acidentes?

Por melhores que sejam as intenções de uma empresa em relação ao bem-estar de sua equipe, ainda observamos que muitas cometem equívocos no treinamento de segurança. Vamos listar três exemplos. Será que você reconhece algum deles?

Treinar apenas funcionários novos

Sim, existe lógica por trás de oferecer um treinamento de segurança aos funcionários novos. Afinal, eles ainda não conhecem nada sobre o local, os procedimentos, os riscos etc. Portanto, eles precisam ser treinados para identificar potenciais situações de acidente. Até aí, tudo está ótimo.

O problema começa quando, depois de entrar na empresa, o funcionário nunca mais recebe um treinamento. Na realidade, a conscientização da equipe em relação a segurança no trabalho requer um esforço contínuo.

Nesse sentido, o treinamento de prevenção de acidentes deve ser aplicado a todos os colaboradores, inclusive a “prata da casa”. Você pode achar que eles estão fora de perigo, mas, em muitas ocasiões, percebemos exatamente o contrário!

Os colaboradores mais antigos na empresa podem estar excessivamente confortáveis e confiantes em suas atividades, o que faz com que percam a atenção aos procedimentos de segurança e causem acidentes.

É a mesma justificativa para o motorista experiente que sofre um acidente quando está dirigindo no próprio bairro: uma falsa sensação de segurança, que causa distração.

O ponto é que treinamentos devem ser regulares e oferecidos a todos os funcionários. Essa dica é válida independentemente do tempo de casa ou do cargo ocupado pelo colaborador.

Não atualizar o treinamento

É possível realizar um treinamento épico? Sim, e veremos como nos próximos itens. Porém, um treinamento será eternamente completo e perfeito? Não. Diante de certas circunstâncias, ele pode se tornar obsoleto.

Por exemplo, se um procedimento novo é adotado ou um novo equipamento passa a ser utilizado, é necessário identificar como isso afeta os riscos à segurança e quais medidas os colaboradores devem adotar para prevenir tais riscos. Então, essa análise deve ser incorporada ao treinamento de prevenção de acidentes.

Não existe uma periodicidade específica para atualizar o treinamento. Em geral, ele precisa ser revisto sempre que houver mudanças pertinentes na empresa.

Não fazer treinamento

Existe uma coisa ainda pior do que fazer um treinamento incompleto: não fazer treinamento nenhum. Infelizmente, em muitas empresas, ainda não existe uma política consistente de educação dos colaboradores em relação à segurança no trabalho.

Talvez você esteja pensando que sua empresa tem, sim, ações para conscientizar os colaboradores sobre como prevenir acidentes. Porém, fique atento! Vale a pena reforçar que entregar um manual ou afixar alguns cartazes espalhados pela empresa não são ações que podem ser consideradas “treinamento”.

Para que sua equipe esteja, de fato, conscientizada sobre por que e como prevenir acidentes, é preciso mais do que isso. Você deve fazer demonstrações, oferecer a oportunidade para que os colaboradores tirem dúvidas e, principalmente, incluir um método para avaliar a compreensão das práticas apresentadas.

4. Como criar treinamentos épicos?

A ideia de preparar sua equipe para participar ativamente na prevenção de acidentes de trabalho é muito bonita na teoria. Porém, a fim de surtir efeitos, ela precisa também ser aplicada adequadamente na prática.

Você já notou como muitos treinamentos corporativos são entediantes, demoram muito para acabar e, no final, a maioria dos colaboradores ainda sai sem aprender nada? Isso é justamente o que não pode acontecer em um treinamento de prevenção de acidentes.

Seu treinamento precisa ser épico para realmente mudar o comportamento dos funcionários. E aqui vão algumas dicas para que isso seja possível:

Tenha um apresentador que saiba falar em público

Você não pode ter um bom treinamento se o principal responsável por transmitir as informações é uma pessoa tímida, que não consegue falar bem na frente de grandes grupos.

No mínimo, o apresentador do treinamento deve falar com clareza e em um tom de voz adequado para que todos entendam sua explicação. Mas é muito melhor quando ele também é animado e extrovertido, sabe usar histórias e bom humor para entreter os ouvintes, além de interagir com os participantes durante o treinamento.

Escolha alguém que realmente entenda do assunto

Manter os colaboradores atentos e participativos é muito importante. Mas isso perde totalmente o sentido se o treinamento não tem conteúdo, ou seja, não tem informações relevantes, atualizadas, que agregam valor e conhecimento.

Portanto, o apresentador ideal para um treinamento de segurança não pode simplesmente ser alguém que fala muito bem. É preciso que seja um profissional com formação sólida e experiente no assunto. Vamos retomar esse ponto mais a frente, quando falarmos sobre como escolher uma consultoria para o seu treinamento.

Tenha uma estrutura adequada

Um treinamento de segurança não é uma palestra financeira. Uma apresentação de slides não é suficiente para que os colaboradores realmente entendam como agir diante de uma situação de risco para a prevenção de possíveis acidentes.

Por essa razão, é indispensável contar com demonstrações e simulações. Aliás, quanto mais sua equipe participar do treinamento de maneira ativa, maiores serão as chances de que consigam aplicar esses conhecimentos na vida real.

Para que seja possível desenvolver um treinamento bem interativo e dinâmico, é preciso contar com a estrutura adequada. E não é pouca coisa! Estamos falando em treinamentos que precisam representar situações de perigo com fogo, espaço confinado, altura, emergências químicas, entre outros.

Como você deve ter percebido, para a esmagadora maioria das empresas, é inviável manter uma estrutura desse porte como iniciativa própria. Por isso, vale a pena investir em uma consultoria que disponha de todos os equipamentos, como é o caso da Previnsa, que é a única no Brasil a oferecer campos de treinamento móvel de alta tecnologia homologados pela ABNT.

5. Quando realizar um treinamento de prevenção de acidentes?

Você deve se lembrar de que, lá no item 3 deste artigo, falamos que realizar treinamentos apenas com funcionários novos é um erro. De fato, nós garantimos que os treinamentos devem ser realizados com regularidade, certo?

Mas isso não significa que não existam momentos específicos em que eles são ainda mais importantes. Aqui vão os principais exemplos:

Mudança de cargo ou função

Se um colaborador vai assumir um novo papel na empresa, é possível que ele passe a enfrentar riscos de acidente diferentes na sua rotina de trabalho. Para acompanhar essa mudança, eles devem receber um treinamento focado na preparação para lidar com os riscos de seu novo cargo ou função.

Aumento no número de acidentes

Notou que começaram a acontecer mais acidentes durante um certo período? Aja rapidamente. Assim que você observar o aumento no número de acidentes, deve organizar um novo treinamento. O objetivo, claro, é acabar com essa tendência antes que ela se estabeleça de vez.

Retorno de funcionários em afastamento

Um funcionário em afastamento, que passou um tempo considerável longe da empresa e do trabalho, pode voltar um pouco perdido ou até um pouco “lento”. Participar de um treinamento pode evitar que ele sofra acidentes durante seu período de readaptação. A mesma lógica também se aplica ao caso de um funcionário que estava de férias ou em licença-maternidade, por exemplo.

Antes que você pergunte, nós sabemos que não é viável realizar o treinamento de prevenção de acidentes com seus colaboradores individualmente. Por isso, o que estamos propondo não é fazer um treinamento com cada funcionário que é promovido ou retorna de um afastamento.

Porém, você pode aproveitar essas situações para realizar um treinamento geral com a equipe envolvida. Assim, você atualiza o colaborador em questão e já aproveita para reforçar os procedimentos com os demais.

6. Por que investir em treinamento integral?

O treinamento integral, caso você esteja se perguntando, é o termo que usamos quando uma mesma empresa fica responsável por ministrar todos os cursos de prevenção de acidentes que você possa precisar. Existem vários motivos para escolher essa alternativa. Alguns deles são:

Praticidade

Você sabe como é lidar com vários prestadores de serviços diferentes ao mesmo tempo. Cada um tem um contrato com seus próprios preços e regras, é preciso negociar várias datas separadamente (e garantir que não haverá conflito entre elas), o padrão de qualidade entre eles tende a variar, entre outros detalhes. Com certeza é bem mais prático tratar com apenas uma empresa, que atenderá sua equipe integralmente.

Diminuição do custo

Você provavelmente já está familiarizado com o conceito de que, quanto maior a compra, maior a possibilidade de negociação de preços. Isso é válido quando você decide adquirir toda a sua matéria-prima com um mesmo fornecedor, por exemplo. Devido ao alto volume, ele pode oferecer valores unitários mais atraentes.

Pois é, a mesma lógica se aplica ao treinamento integral. Quando você fecha um contrato para vários treinamentos com o mesmo prestador de serviços, abre-se uma porta para discutir preços mais acessíveis. Afinal, também é interessante para o prestador vender mais, mesmo que ele tenha que reduzir um pouco sua margem de lucro. Assim, é possível diminuir o custo final dessa atividade para a sua empresa.

Possibilidade de um treinamento mais completo

Investindo em um treinamento integral, haverá uma mesma equipe por trás do trabalho de organizar e ministrar os diferentes treinamentos. Esse fator permite que exista mais continuidade nos assuntos, ou seja, eles poderão trabalhar de modo que um treinamento complemente o outro. Com isso, sua equipe vai sair mais preparada para prevenir acidentes.

Custo-benefício

Já vimos que o treinamento integral é mais completo e, portanto, garante melhores resultados na prevenção de acidentes. Ao mesmo tempo, ele também permite atingir um custo final reduzido. Colocando estes dois elementos na balança, você já pode visualizar o custo-benefício dessa escolha.

Mas não se esqueça de pesar também a saúde e o bem-estar de seus funcionários. Como vários estudos já comprovaram, existe uma relação direta entre esses fatores e a produtividade. Ou seja, o treinamento integral vai potencialmente aumentar a lucratividade da empresa em longo prazo. Isso sem falar, é claro, nos possíveis processos e indenizações trabalhistas evitados.

Mas, se você quiser investir no treinamento integral, esteja atento. Essa opção só é viável quando o treinamento acontece in company, ou seja, no espaço da própria empresa. Do contrário, entre o deslocamento dos colaboradores na ida e volta, seria perdido muito tempo e dinheiro, o que reduz as vantagens dessa alternativa.

É esse treinamento in company que a Previnsa oferece, por meio de sua unidade móvel de alta tecnologia. Assim, você garante que a carga horária da atividade será efetiva, ou seja, será 100% aproveitada. Além disso, você não precisa se preocupar com a questão logística do transporte, com os riscos do trajeto ou com o pagamento de eventuais horas extras.

7. Como escolher um treinamento em segurança do trabalho?

Passamos todo esse tempo convencendo você a organizar um treinamento de prevenção de acidentes. E falamos, em vários momentos, sobre o consultor que vai oferecer tal treinamento. Mas, afinal de contas, como escolher a consultoria e o treinamento certos? Bem, nós temos algumas dicas úteis:

Tempo de atuação

A primeira coisa a verificar é o tempo de atuação da consultoria. Isso não significa que consultorias novas são ruins simplesmente elas possuem menos know-how. Se puder escolher, você deve sempre optar por quem tem mais experiência.

Clientes anteriores

Uma das maneiras mais simples de encontrar uma boa consultoria para o treinamento é verificando os clientes anteriores. Você deve observar se ela possui um histórico sólido e quais foram os resultados obtidos. Em caso de dúvidas, não hesite em pedir referências!

Mas não é só isso. Avalie, também, o porte e o ramo das empresas para as quais essa consultoria já trabalhou. Se todos os clientes possuem um perfil muito específico, você deve observar até que ponto sua empresa se encaixa nele. Do contrário, o treinamento oferecido pode não atender às suas reais necessidades.

Confiabilidade dos profissionais

Comece verificando o currículo dos sócios, diretores e consultores. Você pode pesquisar sobre sua formação, por exemplo, para saber se possuem formação em segurança do trabalho ou outras áreas pertinentes. Observe também suas experiências anteriores à consultoria.

Tenha certeza de que os profissionais da consultoria são devidamente inscritos nos órgãos específicos. Um engenheiro de segurança do trabalho, por exemplo, deve ter registro no CREA — Conselho Regional de Engenharia e Agronomia. Além disso, a própria empresa de consultoria também precisa ser registrada no CRA — Conselho Regional de Administração — para atuar de maneira legalizada.

Preço

O preço, é claro, também é um fator a considerar. Mas lembre-se de que treinamentos são uma daquelas coisas em que vale a pena investir mais para obter a melhor qualidade possível. Afinal, você está pagando agora para evitar dores de cabeça muito piores no futuro.

Conhecimento das NRs

Apesar de ser o último critério, também é importante. Você quer trabalhar com uma consultoria que entenda de segurança, mas não apenas de maneira superficial. Esses profissionais precisam entender muito bem sobre as NRs, as Normas Regulamentadoras. Essas normas são obrigatórias e o seu não-cumprimento pode causar problemas junto ao Ministério do Trabalho.

Os treinamentos de prevenção de acidentes, quando conduzidos adequadamente, garantem excelentes resultados para melhorar as estatísticas de saúde, segurança e até mesmo de satisfação dos colaboradores.

Mas não podemos fingir que esse é um assunto fácil. A extensão desse artigo é prova disso, certo? Então, só para garantir, vamos rever as principais lições que você deve levar a partir dessa leitura:

  • além da questão da segurança, os treinamentos trazem vários outros benefícios para a empresa, inclusive para a produtividade da equipe e para a imagem do negócio;

  • os treinamentos devem ser frequentes, e não apenas esporádicos — embora existam algumas situações em que é ainda mais importante realizá-los;

  • um bom treinamento depende de pessoas capacitadas e da estrutura adequada;

  • se estiver em dúvida, lembre-se de que vale a pena, sim, organizar o treinamento em período integral — desde que a consultoria possa oferecê-lo in company;

  • faça uma boa investigação antes de escolher a consultoria certa. Preço não é o mais importante.

Esperamos que esse artigo tenha sido muito útil para ajudá-lo a organizar o treinamento de prevenção de acidentes na sua empresa. Mas, se você ainda tiver dúvidas, não se preocupe. Deixe sua pergunta nos comentários deste post e teremos prazer em respondê-la!

Você pode gostar
EPI: por que e como incentivar o uso na empresa?
Você sabe o que é NR 35 e por que ela é importante?

Deixe seu comentário

Seu Comentário*

Seu Nome*
Seu Site

Share This