Saiba como fazer análise de riscos em seu ambiente de trabalho - Previnsa - Soluções em Segurança do Trabalho
Capacitação

Saiba como fazer análise de riscos em seu ambiente de trabalho

O trabalho é o local em que passamos grande parte de nossos dias. Por isso, também é o lugar onde estamos mais expostos a situações que podem comprometer a saúde, a integridade física ou até mesmo nossa própria vida.

Zelar pela qualidade e segurança de suas instalações, então, é essencial para evitar acidentes. Mas, para que isso seja possível, é preciso conhecer os perigos presentes no ambiente e nas atividades, para encontrar formas de minimizá-los ou exterminá-los.

No post de hoje, vamos falar sobre como fazer uma análise de risco no ambiente de trabalho, apontando 7 passos para tornar a empresa mais segura e a sua equipe mais produtiva. Confira!

O que é a análise de risco e qual a sua importância

Os perigos estão presentes em todos os lugares, até mesmo em nossa própria casa. No ambiente de trabalho, porém, esses riscos se tornam mais acentuados, seja em razão das próprias características ou circunstancias em que as atividades são realizadas, seja em decorrência da interação entre os trabalhadores — ou entre eles e os equipamentos empresariais.

Então, para poder desfrutar de um ambiente verdadeiramente seguro e tranquilo, além de contar com uma equipe empenhada e saudável, é preciso que sejam identificados perigos ou situações que possam comprometer a qualidade do ambiente ou da saúde dos obreiros.

A análise de riscos é, assim, um estudo técnico que visa identificar os perigos presentes em determinado local ou atividade. Também é possível apontar formas de se proteger deles, evitá-los ou minorá-los.

segurança do trabalho é um tema bastante relevante (e a legislação faz uma série de exigências para promovê-la). Os riscos ambientais aumentam, inclusive, a alíquota de alguns tributos.

Benefícios

Reconhecer os perigos laborais, mais do que simplesmente ficar em dia com a legislação trabalhista e evitar ações na justiça, é uma prática que traz benefícios tanto para a organização quanto para seus colaboradores. Veja alguns deles:

Torna a equipe mais produtiva

Um ambiente de trabalho mais seguro torna a equipe mais produtiva, já que a energia e a concentração dos trabalhadores podem ser direcionadas para as áreas relevantes da atividade desempenhada.

Evita prejuízos financeiros

Um local de trabalho seguro e tranquilo é um direito garantido pela legislação trabalhista aos colaboradores. É, também, fator indispensável para a prosperidade e o sucesso da própria empresa.

Cuidar da integridade e da saúde dos empregados, ao mesmo tempo em que se demonstra zelo e cuidado pela equipe, também evita prejuízos financeiros. Isso ocorre em razão da diminuição dos afastamentos provocados pelos acidentes de trabalho ou em decorrência de eventuais condenações por fortuitos em serviço.

Reduz alíquotas de tributos

Quanto mais seguro for o ambiente de trabalho, menor será a alíquota da contribuição SAT, que varia conforme os riscos presentes nas empresas.

Eleva o status da empresa

Cuidar da qualidade e da higidez de suas instalações também elevará o status e a respeitabilidade da organização no mercado. Uma empresa que se preocupa em garantir saúde e qualidade de vida aos seus funcionários será reconhecida como um empreendimento de excelência.

7 passos para alcançar ótimos resultados

Bem, agora que já entendemos o que é e quais são seus principais benefícios, vamos verificar os 7 passos para fazer uma análise de riscos na sua companhia e alcançar ótimos resultados! Vejamos:

1. Identificação do processo produtivo

Para começar a fazer a análise de risco, é preciso conhecer todo o processo produtivo da empresa, que inclui:

  • atividades principais e acessórias;
  • número de trabalhadores envolvidos em cada uma delas;
  • condições ambientais em que são realizadas (salubridade, ventilação, iluminação) etc.

2. Estudo da legislação de regência

legislação também traz importantes informações sobre os perigos existentes no ambiente de trabalho de determinada atividade e as principais medidas que devem ser tomadas pela empresa para evitar que os fortuitos aconteçam. As normas se baseiam em prévios estudos técnicos — e o cumprimento de cada uma delas pode evitar sinistros graves.

3. Reconhecimento e descrição de riscos e perigos

Conhecendo a dinâmica dos processos internos e observando o que estabelece a legislação, é possível fazer a identificação dos riscos. Os perigos variam conforme o tipo de atividade, o número de trabalhadores envolvidos, o tempo gasto para executá-lo e assim por diante. É preciso identificar e registrar o que pode dar errado nesse processo.

4. Identificação dos trabalhadores envolvidos

Após a caracterização do risco e o estudo da probabilidade de sua ocorrência, deve-se identificar quem são os colaboradores que lidam mais diretamente com tal atividade. A par dessas informações, a empresa deve intensificar os treinamentos e a capacitação desses obreiros, para que tenham mais habilidade e cuidado na execução dos processos sob seu encargo.

5. Caracterização dos riscos de acordo com o grau de cada um

Os riscos são múltiplos e possuem vários graus. Há os leves, médios e graves, sendo que cada um deles reclamará uma postura específica da equipe de trabalho e da companhia. Por isso, é preciso fazer a sua correta avaliação:

  • em que ambiente existe esse risco?
  • quantas pessoas estão expostas a ele?
  • qual evento ou circunstância pode desencadeá-lo?
  • que fatores podem agravá-lo?
  • quais são suas consequências?

Após o registro dos riscos em graus, as medidas de segurança devem ser intensificadas de acordo com o nível de cada um.

6. Implementação e controle das medidas adotadas

A análise de riscos visa, fundamentalmente, identificar os perigos presentes no ambiente de trabalho. A partir daí, é possível adotar medidas obstativas de suas ocorrências e impedir os sinistros laborais.

Em geral, os riscos podem ser evitados com: equipamentos de segurança, controle das condições de salubridade, ventilação e iluminação ideais e sinalização dos locais perigosos dentro da empresa. Não basta, porém, identificá-los e sugerir soluções.

É preciso efetivar um controle rígido sobre o que for determinado. De nada adianta conhecer os perigos e pensar em medidas de precaução ou prevenção se não houver um controle sobre o cumprimento de normas e condições de segurança.

7. Conscientização da equipe

Por fim, para que a análise de riscos e as medidas adotadas em sua função tenham verdadeira eficácia, é preciso que os colaboradores também auxiliem nesse processo. A segurança laboral é, além de um direito dos trabalhadores, uma obrigação solidária entre eles e a empresa.

Se cabe ao empregador adotar medidas para tornar o ambiente de trabalho mais seguro e fornecer treinamento adequado para que a equipe saiba lidar com as adversidades, é de responsabilidade dos trabalhadores zelar pela higidez do ambiente e cumprir as normas e determinações dadas pela direção da companhia.

Gostou de saber mais sobre a importância da análise de risco para o seu ambiente de trabalho? Conhece alguma outra maneira de tornar a organização mais segura? Deixe seu comentário!

Você pode gostar
Quais os acidentes mais comuns na construção civil e como evitá-los?
Fiscalização do trabalho: como se preparar para ela?
2 Comentários
  • josias nov 1,2017 at 2017-11-01T09:31:09+00:000000000930201711

    gostaria de receber assuntos relacionados a seguranca do trabalho

    • Previnsa nov 9,2017 at 2017-11-09T16:00:02+00:000000000230201711

      Josias, boa tarde!
      Tudo bem?
      Assine nossa Newsletter e fique por dentro dos novos assuntos abordados por nós.

      Obrigado pela confiança e apoio!

Deixe seu comentário

Seu Comentário*

Seu Nome*
Seu Site

Share This