O que envolve a higiene no trabalho ? O que elas contribuem para a segurança no trabalho? Previnsa - Soluções em Segurança do Trabalho
Capacitação

Medidas de higiene: elas contribuem para a segurança no trabalho?

Medidas de Higiene no Industrial e Trabalho

Falar em higiene em uma empresa leva à associação imediata de um ambiente limpo e organizado, não é mesmo? Porém, higiene na segurança no trabalho vai um pouco além disso. A relação entre esses aspectos é determinante, mas nem sempre é explorada como deveria.

Conhecer a importância dessas medidas de higiene é uma forma de prevenção de problemas relacionados à saúde e bem-estar de sua equipe. Com a preocupação adequada, é possível tornar o ambiente melhor para os envolvidos.

A seguir, veja como adotar medidas de higiene na segurança de trabalho e entenda como elas influenciam os resultados.

O que são medidas de higiene do trabalho?

A atividade de higiene do trabalho diz respeito a um conjunto de procedimentos e normas que têm como objetivo principal a proteção do trabalhador, zelando por sua integridade mental e física.

Esta ciência do reconhecimento de riscos à saúde do empregado no ambiente da empresa visa avaliar e controlar aquilo que pode provocar doenças ocupacionais. A intenção é preservar o trabalhador dos possíveis riscos de saúde decorrentes do ambiente físico onde executa suas funções e das tarefas atribuídas ao seu cargo. Ela também busca evitar a transmissão de doenças contagiosas e o surgimento de diversas questões em ambientes insalubres.

A higiene no trabalho é realizada por meio de avaliação e estudo do controle do homem e do seu ambiente e condições de trabalho. De caráter preventivo, a atividade executa diagnósticos de doenças ocupacionais e busca a promoção da saúde e conforto do trabalhador, de modo a evitar que ele adoeça.

O que é segurança do trabalho?

De maneira resumida, pode-se dizer que é o conjunto de medidas utilizadas para prevenir acidentes e doenças ocupacionais ou do trabalho em um ambiente de trabalho. O principal objetivo é proteger a integridade física e mental do colaborador, de modo a diminuir os riscos diversos.

Essas medidas são técnicas, médicas, psicológicas e educacionais e intentam eliminar condições inseguras no ambiente, além de instruir e convencer sobre a necessidade de implantação de práticas de prevenção.

A importância dessa atuação é diversa. Além de ser uma obrigação prevista por lei, ela garante maior motivação, produtividade e economia. Cuidar dos colaboradores gera uma equipe mais engajada, funcional e que atende às especificações da legislação prevista. Como consequência, a empresa tem menos custos — inclusive, com multas ou indenizações.

Qual a relação entre higiene e segurança no trabalho?

Higiene e segurança no trabalho estão diretamente relacionadas, já que são a principal base para a preservação da força de trabalho de uma empresa.

O intuito básico da higiene do trabalho é garantir a proteção do trabalhador, apontando as condições e materiais de trabalho mais seguros que, consequentemente, manterão sua saúde.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), saúde não é apenas a ausência de enfermidades, mas, sim, um estado pleno de bem-estar, o que inclui o físico, o mental e o social.

Quando falamos em higiene e segurança no trabalho, estamos pensando em cuidar da moral dos empregados e da continuidade de sua produção.

Existem ambientes de trabalho que são insalubres, naturalmente e por si só. Porém, saber da existência de riscos não pode ser o mesmo que concordar com a possibilidade de que os trabalhadores fiquem doentes.

Caso existam riscos, é essencial que eles sejam identificados, em seguida qualificados e quantificados. Posteriormente, é preciso analisar se estes riscos estão fazendo mal à saúde do trabalhador. Em caso de resposta positiva, eles precisam ser eliminados ou, pelo menos, tratados e minimizados.

Sem a higiene do trabalho, por outro lado, é mais difícil garantir a segurança. Os funcionários ficam expostos a condições que prejudicam a saúde em vários aspectos. Imagine um ambiente sem espaço para garantir uma alimentação limpa e adequada. Nesse caso, aumentam os riscos de ocorrerem infecções e contaminações, que comprometem a saúde e a segurança.

Quais riscos podem haver em um ambiente de trabalho?

Avaliar e entender os possíveis riscos no ambiente pode ajudar a empresa a evitar problemas relacionados ao bem-estar de seus colaboradores. Os principais deles são:

Riscos físicos

  • temperaturas extremas;
  • má iluminação;
  • ruído;
  • vibração;
  • pressões hiperbáricas;
  • umidade;
  • radiação (ionizante e não ionizante).

Todos eles podem contribuir para a má qualidade do trabalho executado, afetando o desempenho dos empregados.

A má iluminação, por exemplo, pode afetar o sistema nervoso, provocar fadiga à visão e, até mesmo, ser responsável por acidentes dentro da empresa. Temperaturas extremas podem gerar fadiga crônica e, em alguns casos, provocar a total incapacidade laboral de um profissional. A presença de ruídos além dos limites de tolerância pode provocar perda de capacidade auditiva, podendo chegar à perda total da audição.

Enfim, o ambiente que oferece condições inadequadas nesses quesitos não é considerado saudável. Nesse caso, é obrigatório o uso de roupas e equipamentos de proteção adequados.

Riscos químicos

  • Poeira;
  • fungos;
  • neblina;
  • gases;
  • vapores.

Estes elementos precisam ser analisados, pois podem afetar o sistema respiratório e causar sérios danos aos pulmões, que são órgãos vitais do ser humano.

Riscos biológicos

  • Protozoários;
  • vírus;
  • bactérias.

Por sua própria natureza, estes elementos podem causar mal à saúde de quem está presente no mesmo ambiente. São os principais relacionados à higiene na segurança do trabalho e, portanto, merecem máxima atenção.

Riscos ergonômicos

  • Postura inadequada;
  • jornada de trabalho muito longa;
  • turnos inadequados.

Essas situações não promovem condições normais de trabalho e podem agravar a saúde mental do trabalhador.

Nesse caso, é importante mudar os hábitos e as condições de trabalho, priorizando o valor humano, para que a higiene e segurança no trabalho sejam satisfatórias.

Riscos mecânicos

  • Acidentes (como explosões ou incêndios);
  • irregularidades elétricas;
  • máquinas sem proteção.

Em alguns ambientes, é evidente a possibilidade de certos tipos de acidentes. Nesses locais de trabalho, é imprescindível que seja feita uma conscientização dos funcionários sobre o uso de EPIs (Equipamento de Proteção Individual), como luvas, máscaras, capacetes, protetores auditivos e óculos.

Há também os equipamentos de proteção coletiva, que são andaimes, redes de proteção, sinalização e grades de proteção das máquinas. No caso do maquinário, é importante que a empresa ofereça máquinas adequadas, em perfeitas condições de uso, e que os empregados recebam treinamento para utilizá-las.

Os acidentes de trabalho podem ter diferentes causas: organizacionais, materiais ou humanas. Todas elas geram consequências negativas para a empresa e para os trabalhadores, por isso é tão importante que sejam evitados.

Como a prevenção pode ser feita na prática?

Prevenir doenças ocupacionais, lesões e acidentes, requer medidas práticas. Algumas delas são:

  • modificações ergonômicas, baseadas em estudos, nos postos de trabalho;
  • diversificação nas tarefas realizadas;
  • instituição de pausas regulares para descanso;
  • uso de equipamentos e ferramentas adaptados ergonomicamente;
  • atenção e valorização às queixas e reclamações dos funcionários;
  • promoção de um ambiente emocionalmente agradável;
  • promoção de autonomia aos trabalhadores nas tomadas de decisões.

É válido ressaltar que é importante avaliar as circunstâncias e fatores que afetam o bem-estar no ambiente da empresa mesmo para os visitantes, os prestadores de serviço e os trabalhadores temporários.

Como adotar a higiene na segurança do trabalho?

Do ponto de vista da higiene, há algumas medidas que devem ser adotadas. A partir delas, é possível melhorar o local de trabalho e, principalmente, proteger a saúde dos colaboradores com maior eficiência.

Não se esqueça de que os riscos específicos têm que ser avaliados. Confira abaixo algumas medidas a serem seguidas.

Mantenha os lavatórios limpos e funcionais

É essencial que os colaboradores possam atender às suas necessidades fisiológicas. Para tanto, a disponibilização de banheiros e lavatórios é prevista por lei e depende do número de funcionários. Deve haver, por exemplo, um chuveiro para cada 10 trabalhadores de ambientes insalubres. Já as torneiras aparecem na quantidade mínima de uma para cada 20 pessoas.

Também é preciso cuidar de aspectos como a limpeza e organização. Os espaços devem ser desprovidos de odores desagradáveis e evitar a contaminação por agentes patológicos.

Além de tudo, é essencial que estejam em perfeito funcionamento, já que um piso molhado aumenta os riscos de quedas e acidentes, por exemplo. Caso seja necessário, é preciso fazer uma interdição para realizar o conserto específico, dentro das condições de segurança.

Mantenha vestiários e armários organizados

Da mesma forma, os vestiários devem ser organizados de modo a estarem sempre limpos. O recomendado é que haja um armário de uso pessoal para cada colaborador, por turno de trabalho. Assim, eles podem armazenar itens pessoais e objetos que não são usados durante a jornada.

Ainda é importante cuidar da limpeza para evitar problemas com a umidade ou com pequenos animais, como insetos e roedores. Os espaços devem ser separados por sexo e garantir uma experiência livre de riscos para os funcionários.

Dê o tratamento adequado ao lixo gerado

Outra situação que exige atenção quando o tema é a higiene na segurança de trabalho é o tratamento dado aos resíduos gerados. O lixo deve ser manejado corretamente para evitar riscos de contaminações e até físicos.

Ambientes hospitalares, por exemplo, precisam tomar cuidado com o descarte de objetos como seringas e materiais biológicos. Já locais que produzem algum tipo de resíduo contaminante e poluente têm que fazer o tratamento para garantir que os recursos naturais sejam mantidos.

Em relação aos trabalhadores, essa preocupação previne que os funcionários sejam afetados duplamente: pelo ambiente e pelo acúmulo de lixo. Também evita a atração de vetores, a propagação de doenças e garante um espaço limpo, organizado e adequado para realizar as atividades.

Cuide da preparação e do manejo dos alimentos

Locais laborais que envolvem a preparação de alimentos exigem cuidados ainda mais específicos quanto à higiene. É fundamental, por exemplo, que os ingredientes sejam armazenados em lugares determinados, dentro das condições previstas pelos respectivos fabricantes.

Também é essencial que a área seja isolada e que siga as normas para proteger os ingredientes. É necessário, por exemplo, que haja uma torneira para os responsáveis pela elaboração, além de recursos de refrigeração e de isolamento de produtos.

O ideal é que o espaço seja ventilado da forma adequada e que permita a realização de refeições seguras, inclusive do ponto de vista nutricional. Essa atenção diminui as chances de os colaboradores sofrerem com doenças ligadas à má alimentação e mitiga até os riscos relacionados a infecções e contaminações por micro-organismos.

Tenha procedimentos de limpeza de todos os ambientes

Ter pontos sujos é potencialmente perigoso não apenas por causa da saúde, mas por causa da integridade física em vários aspectos. Locais abarrotados de caixas ou com líquidos derramados, por exemplo, apresentam probabilidades maiores de causar acidentes. Se não houver a sinalização adequada, as chances ficam ainda mais elevadas.

O jeito certo de lidar com a situação é criar procedimentos de limpeza para todas as áreas — principalmente, para as insalubres. É necessário pensar na retirada de todos os materiais que possam comprometer a saúde ou a segurança e que gerem condições inseguras para os colaboradores.

O refeitório, por exemplo, tem que ser limpo para evitar a proliferação de bactérias e para não atrair vetores de doenças variadas. Já um escritório tem que ser limpo para prevenir problemas respiratórios, como os causados pela grande quantidade de impurezas no ambiente e no ar.

O ideal é contar com uma equipe especializada e exclusivamente dedicada ao tema. Dessa forma, há a garantia de que o espaço ficará protegido conforme o exigido.

Treine os colaboradores sobre as medidas preventivas

Para que as medidas sejam realmente efetivas, é essencial contar com a colaboração dos trabalhadores. Não adianta, por exemplo, ter um plano de limpeza dos ambientes se os funcionários levam alimentos para o espaço laboral. Então, é fundamental implementar medidas de conscientização e treinamento.

Demonstre a importância de cuidar a higiene e como isso impacta o bem-estar e a qualidade de vida de cada um. Apresente, ainda, quais são as boas práticas e como cada pessoa deve se portar para ter os melhores efeitos.

Essa preocupação garante resultados mais consistentes, além de evitar riscos que surgem, justamente, por causa da atuação incorreta ou pouco estratégica dos colaboradores.

Reconhecer a importância da higiene na segurança de trabalho é uma forma de demonstrar aos colaboradores que eles são valorizados pela empresa. Essa atitude certamente se converterá em motivação e melhores resultados.

Agora que você já entende tudo sobre o assunto, descubra como promover o bem-estar corporativo!

Você pode gostar
NR 20: entenda as atualizações desta norma
Treinamento de Emergências: como implementar em sua empresa?
1 Comentário
  • Zacarias Bernardo Sequesseque jan 5,2018 at 2018-01-05T07:15:38+00:000000003831201801

    Nada a salientar de momento. Gostaria de receber mais informações sobre essa matéria.

Deixe seu comentário

Seu Comentário*

Seu Nome*
Seu Site

Share This