Warning: include_once(/home/customer/www/blog.previnsa.com.br/public_html/wp-content/plugins/wp-super-cache/wp-cache-phase1.php): failed to open stream: No such file or directory in /home/customer/www/blog.previnsa.com.br/public_html/wp-content/advanced-cache.php on line 21

Warning: include_once(): Failed opening '/home/customer/www/blog.previnsa.com.br/public_html/wp-content/plugins/wp-super-cache/wp-cache-phase1.php' for inclusion (include_path='.:/usr/local/php70/pear') in /home/customer/www/blog.previnsa.com.br/public_html/wp-content/advanced-cache.php on line 21

Warning: session_start(): Cannot send session cookie - headers already sent by (output started at /home/customer/www/blog.previnsa.com.br/public_html/wp-content/advanced-cache.php:21) in /home/customer/www/blog.previnsa.com.br/public_html/wp-content/themes/marketing-expert/functions.php on line 2

Warning: session_start(): Cannot send session cache limiter - headers already sent (output started at /home/customer/www/blog.previnsa.com.br/public_html/wp-content/advanced-cache.php:21) in /home/customer/www/blog.previnsa.com.br/public_html/wp-content/themes/marketing-expert/functions.php on line 2
Entenda as normas de segurança do trabalho na agroindústria - Previnsa - Soluções em Segurança do Trabalho
Capacitação

Entenda as normas de segurança do trabalho na agroindústria

Seguir normas de segurança é fundamental em qualquer empresa e indústria. Por meio delas, é possível evitar os acidentes de trabalho e otimizar a produtividade, considerando que não haverá paradas, nem faltarão funcionários para desempenhar as atividades.

Oferecer segurança aos trabalhadores também é uma forma de evitar multas e outras penalidades, já que essa se trata de uma condição definida por lei.

O setor de trabalho rural também exige segurança. Confira abaixo as normas de segurança do trabalho na agroindústria!

O princípio e a importância da segurança do trabalho

Não importando qual seja o local de trabalho, industrial, comercial ou agrícola, o princípio básico da segurança no trabalho é a proteção ao trabalhador, de sua integridade física e mental, enquanto estiver desenvolvendo suas atividades.

Procurar ambientes saudáveis e buscar a proteção ao trabalhador é uma preocupação cada vez maior das empresas e do governo brasileiro, considerando que isso implica também em menores custos e maior produtividade para o negócio.

Dessa forma, a Gestão em Saúde e Segurança do Trabalho torna-se uma estratégia competitiva relevante, consistindo em um diferencial que garante à empresa uma boa fatia de espaço no mercado concorrido. Os lucros do patrão podem aumentar ou minguar conforme ele se dedica a essa área.

O acidente de trabalho

De acordo com o artigo 19 da Lei nº 8.213 da Previdência Social, o acidente de trabalho é aquele que acontece enquanto o empregado está desenvolvendo atividades a serviço da empresa ou aquele que ocorre pelo exercício do trabalho dos segurados relacionados no inciso VII do artigo 11 da lei.

O acidente de trabalho é aquele que provoca lesão corporal ou perturbação funcional, ou que causa a morte ou a perda/redução temporária ou permanente da capacidade para o desenvolvimento do trabalho.

As Normas Regulamentadoras

As NRs, ou Normas Regulamentadoras, oferecem orientação sobre medidas obrigatórias relacionadas à Segurança e Medicina do Trabalho. A CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) aludiu a elas no capítulo V, título II, e a Portaria nº 3.214/78 aprovou-as. Essas normas são elaboradas e modificadas por comissões compostas por representantes do governo, patrões e empregados, ou seja, uma comissão tripartite.

Hoje em dia, existem 36 NRs que tratam individualmente de um assunto específico. As Normas Regulamentadoras que abordam a segurança do trabalho são:

  1. NR 11;
  2. NR 12;
  3. NR 13;
  4. NR 15;
  5. NR 20;
  6. NR 24;
  7. NR 31;
  8. NR 35.

A Norma Regulamentadora 31 aborda especificamente a Segurança e Saúde no Trabalho na Agricultura, Pecuária, Silvicultura, Exploração Florestal e Aquicultura.

O agronegócio

O agronegócio é composto das relações industriais e comerciais que envolvem a cadeia produtiva da agricultura (cultivo da terra) ou da pecuária (criação de animais). Quando se estuda o agronegócio, é comum dividi-lo em três partes:

  1. negócios agropecuários propriamente ditos (da porteira para dentro): são representados pelos produtores rurais constituídos como pessoas físicas (camponeses, fazendeiros) ou jurídicas (empresas);
  2. negócios a montante da agropecuária (antes da porteira): são representados pelas indústrias e pelos comércios que fornecem insumos aos produtores da zona rural, como os fabricantes/vendedores de equipamentos, fertilizantes, defensivos químicos etc.;
  3. negócios à jusante da agropecuária (após a porteira): são representados por compra/venda, transporte e beneficiamento dos produtos até chegarem ao consumidor final, como as indústrias têxteis, supermercados, frigoríficos e distribuidores de alimentos.

Os mais importantes riscos de segurança na agroindústria

As normas de segurança do trabalho variam conforme os riscos envolvidos. A agroindústria oferece riscos ocupacionais com gravidade variável, envolvendo intempéries, efeitos dos agrotóxicos, desgastes físicos, ataques de animas peçonhentos (serpentes, escorpiões, aranhas), poeira, calor, ruídos, manuseio de equipamentos e máquinas diversas.

Riscos químicos

Os agrotóxicos (defensores agrícolas) usados para proteger as plantas são muito prejudiciais à saúde, podendo causar danos irreversíveis e até a morte. Com os fertilizantes, ocorre da mesma forma.

Os agrotóxicos podem entrar no organismo de três maneiras:

  • pele (via dérmica);
  • inalação (vias respiratórias);
  • ingestão (via oral).

Riscos mecânicos

Referem-se aos acidentes causados por máquinas, ferramentas e equipamentos agrícolas, além daqueles associados aos animais, como arado puxado por boi, carroças, queda de cavalo etc.

Riscos biológicos

Relacionam-se aos acidentes provocados por animais peçonhentos, agentes infecciosos (bactérias, vírus, fungos, vermes), pólen, fezes e urina de animais, partículas de grãos etc.

Riscos físicos

Quando o trabalhador rural se expõe ao sol em excesso, ele pode sentir cãibras, sofrer síncopes e até desenvolver câncer de pele.

A hidratação é um importante meio de prevenção para o trabalhador do campo que se expõe muito à radiação solar.

Riscos organizacionais

Resultam do ritmo acelerado e de um trabalho mal organizado. O trabalhador pode sofrer com dores musculares e outras disfunções mais sérias.

O esforço repetitivo pode causar doenças osteomusculares e lesões diversas.

As responsabilidades do empregador e do empregado

As normas de segurança do trabalho na agroindústria devem ser seguidas pelo empregado e pelo empregador.

Cabe ao empregador rural algumas ações, como efetuar avaliações ambientais e adotar as medidas preventivas necessárias; promover melhorias no local de trabalho, preservando o nível de segurança e a saúde dos empregados; dar cumprimento e fazer cumprir todas as normas relacionadas à segurança e saúde no trabalho rural; avaliar, junto a CIPATR (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes no Trabalho Rural), os acidentes e as doenças do trabalho; garantir que a CIPATR participe das discussões que falam sobre controle de riscos.

O empregador rural também deve informar aos trabalhadores os riscos que podem advir de seu trabalho e os resultados de seus exames médicos (realizados pelo SESTR, Segurança e Saúde no Trabalho Rural).

O patrão deve adotar medidas preventivas na seguinte ordem de prioridades: eliminação de riscos; controle de riscos na fonte e redução ao risco mínimo, adotando práticas seguras e outras medidas eficazes.

O trabalhador deve seguir todas as determinações do empregador, aceitando as medidas protetivas (se não o fizer, incorrerá em ato faltoso a recusa injustificada). Deve se submeter aos exames médicos previstos na NR 31 e também na NR 7.

A importância de escolher uma empresa séria

Vale a pena contratar os serviços de uma equipe especializada nas normas de segurança do trabalho, contribuindo para que sejam desenvolvidos planos preventivos e de emergência que atendam às necessidades de cada agronegócio, seja ele de grande, médio ou pequeno porte.

A realização de exames médicos é fundamental, com a adequada emissão de ASO (Atestado de Saúde Ocupacional), bem como a utilização de EPIs definidos pelo Ministério do Trabalho.

Esses Equipamentos de Proteção Individual envolvem as máscaras protetoras (ou respiradores), as luvas impermeáveis para a proteção, os capacetes, os calçados apropriados (botas de cano longo, por exemplo), os óculos de proteção (ou viseiras faciais), os protetores auriculares, as toucas de tecido de algodão, os jalecos (ou aventais de segurança) e as perneiras.

Também é fundamental orientar sobre o preparo e a utilização de agrotóxicos, a instalação de extintores de incêndio em pontos estratégicos e a prestação de primeiros socorros.

Gostou de conhecer sobre a importância da segurança do trabalho na agroindústria? Caso deseje saber mais detalhes sobre este assunto, leia nosso guia que aborda as principais normas de segurança do trabalho!

Você pode gostar
Processos trabalhistas: Como diminuir com ações de segurança do trabalho?
Por que investir em um curso de atendimento pré hospitalar na empresa?

Deixe seu comentário

Seu Comentário*

Seu Nome*
Seu Site

Share This