Certificações de qualidade ISO: conheça os 4 tipos principais - Previnsa - Soluções em Segurança do Trabalho
Capacitação

Certificações de qualidade ISO: conheça os 4 tipos principais

As certificações de qualidade ISO representam uma forma de assegurar que empresas públicas ou privadas estejam aptas para fornecer um produto, serviço ou sistema conforme as exigências das agências reguladoras e dos clientes.

A sigla ISO abrevia International Organization for Standardization (Organização Internacional para Padronização). Tal entidade tem como foco a padronização e a normatização de sistemas para a garantia da qualidade dos processos internos em diferentes segmentos do mercado.

No Brasil, a organização está ligada à Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), instaurando um padrão que não só eleva a competitividade da empresa, mas redefine os procedimentos, tornando-a um referencial.

Quer conhecer mais sobre as 4 principais certificações de qualidade ISO? Então, continue acompanhando este post e saiba qual norma se encaixa melhor na empresa em você atua!

1. ISO 9000

A ISO 9000 é a série de normas mais famosas mundialmente. Com atualizações recentes, esse grupo de regulamentos está voltado para a aplicabilidade do Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ) nas empresas.

Além de ressaltarem o objetivo e os termos do sistema que devem ser considerados para a obtenção de melhorias na administração do negócio, as certificações de qualidade ISO 9000 oferecem meios para a implementação e o monitoramento contínuo de técnicas para a otimização de processos.

Com foco na satisfação do cliente, a aplicação da ISO 9001 promove uma verdadeira mudança na cultura de uma instituição. Isso acontece por conta da fundamentação da gestão interna, que passa a ter um fluxo de trabalho mais claro, registrado e estratégico.

O conjunto ISO 9000 inclui as seguintes normas:

  • ISO 9001 — orienta a empresa quanto à qualidade em todos os processos internos. Sem dúvidas, essa norma está entre as mais específicas e desejadas pelas empresas, englobando também a 9002 e a 9003;
  • ISO 9004 — determina a conduta para o sucesso, sustentado por orientações substanciais para a implantação do Sistema de Gestão da Qualidade;
  • ISO 19011 — detém as instruções para auditorias de sistemas de gestão.

Vantagens das certificações de qualidade ISO 9000

Dentre as principais vantagens da implementação da ISO 9000, podemos elencar:

  • aumento da produtividade;
  • redução de custos;
  • garantia da qualidade dos processos;
  • visão mais ampla do fluxo de trabalho;
  • a vantagem de se ter uma certificação de reconhecimento global;
  • credibilidade e diferencial competitivo nas relações comerciais; 
  • segurança nos procedimentos e na tomada de decisões;
  • engajamento e integração entre os funcionários, entre muitos outros benefícios.

2. ISO 14000

Com base na série 9000, mas direcionada para propósitos diferentes, a ISO 14000 estabelece diretrizes para garantir a boa implementação do Sistema de Gestão Ambiental (SGA) entre as empresas.

Ao convergir esforços para questões sustentáveis, as certificações dessa família asseguram o equilíbrio e a proteção ambiental. Isso ocorre por meio da prevenção de problemas que podem afetar a sociedade e a economia.

Se uma empresa obtém o certificado ISO 14000, ela precisa estar comprometida com toda a legislação ambiental prevista em seu país. Uma vez que conquista a certificação, a organização atesta sua preocupação com a natureza e demonstra suas responsabilidades ambientais em padrões mundiais.

Não basta estar de acordo com as leis ambientais do país. Trata-se de uma reorganização da corporação, levando-se em conta padrões que determinam a melhoria contínua de processos pelo treinamento de seus funcionários.

Assim, a companhia estará pronta para encontrar soluções para todos os problemas que pode vir a causar ao meio ambiente, reduzindo seu impacto ambiental. O conjunto ISO 14000 inclui as seguintes normas:

  • ISO 14001: se responsabiliza pelo Sistema de Gestão Ambiental (SGA);
  • ISO 14004: se responsabiliza pelo SGA, sendo voltada para o uso interno da instituição;
  • ISO 14010: se responsabiliza pelas Auditorias Ambientais.
  • ISO 14031: se responsabiliza pelo Desempenho Ambiental.
  • ISO 14020: se responsabiliza pela Rotulagem Ambiental.
  • ISO 14040: se responsabiliza pela Análise do Ciclo de Vida.

3. ISO 17025

A ISO 17025 trata da certificação de laboratórios de calibração e de ensaio. A acreditação é dada para um escopo, conforme os serviços prestados e a capacidade de medição. Sendo assim, esse certificado funciona como uma comprovação de que determinado laboratório realiza suas tarefas com precisão, obtendo resultados de alta qualidade.

De maneira semelhante à obtenção das certificações de qualidade ISO 9000 ou ISO 14000, para conquistar o selo final, a empresa é obrigada a passar por várias auditorias. No caso da ISO 17025, a análise é composta por critérios rigorosos, assegurando que o laboratório avaliado se encaixe, de fato, em um padrão internacional.

Por outro lado, o cliente que contata uma organização acreditada por essa norma se sente mais seguro e satisfeito. Isso porque a pessoa sabe que o laboratório é adequado para o controle e a análise das amostras, segundo as padronizações ambientais e de segurança.

Todos os técnicos são preparados para realizar a coleta e a análise das amostras de resíduos seguindo os parâmetros da norma. Eles recebem constantes qualificações.

4. ISO 50001

Por fim, a última da lista de certificações de qualidade ISO trata da gestão e da conservação de energia, uma área essencial para a indústria. Em um cenário econômico dificultado, a escalada de preços da energia leva as pessoas a procurarem por novas maneiras de diminuir custos e melhorar o desempenho ambiental.

Com essa realidade no mercado, a ISO 50001 surge como um auxílio para as organizações que desejam aprimorar o desempenho em energia, aumentando a eficiência energética e reduzindo as mudanças climáticas.  

A implementação de um Sistema de Gestão de Energia dentro das diretrizes dessa ISO pode trazer ganhos não só para plantas industriais, mas também para instalações comerciais e até mesmo para empresas inteiras.

Vale lembrar que essa norma foi publicada em 2011 e baseia-se em elementos comuns à ISO 9001 e à ISO 14001. Isso assegura uma ótima compatibilidade.

Ao definir um sistema reconhecido pelo mundo todo, integrando a eficiência energética às práticas de gestão e produção das empresas, podemos listar os seguintes benefícios consequentes:

  • melhor utilização dos ativos consumidores de energia;
  • claridade e comunicação da gestão da fonte de energia;
  • melhorias nas práticas na gestão de energia;
  • verificação e priorização de novas tecnologias de energia eficiente;
  • promoção da eficiência energética pela cadeia de fornecedores;
  • melhorias em projetos para diminuir emissões dos gases do efeito estufa.

A implementação de normas voltadas para aprimorar as práticas de gestão das empresas é um investimento único na cultura organizacional com foco na redução de custos, na satisfação dos clientes e no aumento da produtividade.

Não há dúvidas de que, ao optar pela obtenção de um certificado desenvolvido pelas normas ISO, a empresa dará um passo importante diante da concorrência. Assim, será possível aumentar sua relevância perante o mercado.

Se você gostou de saber mais sobre as principais certificações de qualidade ISO, assine nossa newsletter e fique por dentro das novidades do mercado!

Você pode gostar
Você sabe quais são os 5 Rs da sustentabilidade? Descubra agora!
O guia definitivo para montar plano de emergência contra incêndio

Deixe seu comentário

Seu Comentário*

Seu Nome*
Seu Site

Share This